americanarede.net

- um blog dos torcedores do Mecão

americanarede.net - - um blog dos torcedores do Mecão

America anuncia a saída de Gilson Nunes (do site oficial do AFC)

Em comum acordo com o técnico Gilson Nunes, a diretoria do America decidiu, em virtude dos últimos resultados inesperados, promover mudanças na comissão técnica do futebol profissional. O treinador não seguirá no comando do clube e esteve no Estádio Giulite Coutinho na tarde desta segunda-feira (21) para se despedir do elenco. Além de Gilson, o auxiliar técnico, Paulo Zagallo, também deixou seu cargo.
O agora ex-comandante rubro se mostrou honrado por ter trabalhado no America em 2014 e agradeceu a todos os funcionários do America Football Club pela postura e trabalho que tiveram com ele no período em que esteve a frente do clube. Gilson desejou sorte ao Mecão e revelou ficar na torcida pelo sucesso americano.

Gilson Nunes dirigiu o America em nove partidas nessa passagem mais recente pelo clube. Ao todo, foram cinco vitórias e quatro derrotas, um aproveitamento de 55% dos pontos.

O America aproveita a ocasião para desejar sorte ao técnico Gilson Nunes na sequência de sua carreira e reitera que a história do treinador com o clube mantém as portas abertas para futuras oportunidades profissionais.

Treinamento

As atividades desta segunda (21), no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita, foram comandadas pelo preparador físico Marcello Campello.

Site do America

Caixa vai patrocinar até time da série D(O Estadão 19/04/14)

BRASÍLIA – A Caixa Econômica Federal decidiu mudar a estratégia de patrocínio a times de futebol nesta temporada. Em vez de acrescentar outras equipes da série A à sua carteira de assistidos, o banco estatal procurou equipes da segunda e da terceira divisões para regionalizar a marca, em especial no Norte e Nordeste.

A mudança de rumo foi embasada por uma pesquisa do Ibope que revelou que, mais do que o patrocínio a Corinthians e Flamengo, que contam com as maiores torcidas do País, os brasileiros consideraram positivo o apoio do banco estatal a clubes como o Chapecoense, de Santa Catarina.

O Verdão do Oeste fez sua estreia na elite do futebol nacional depois de uma campanha brilhante na Série B, sem deixar a zona de classificação em momento algum. A Caixa vai liberar em torno de R$ 100 milhões a clubes de futebol nesta temporada, valor que a coloca, de longe, como a maior patrocinadora dos times brasileiros. A cifra é 25% maior do que o banco estatal pretende investir em esportes olímpicos e paralímpicos (R$ 80 milhões) em 2014.

O diretor de marketing da Caixa, Clauir Luiz Santos, disse que o banco decidiu patrocinar times para rejuvenescer a marca. “No futebol, compramos a visibilidade de ter a marca toda quarta e domingo na transmissão dos jogos, em sete dos vinte clubes da primeira divisão. Nos esportes olímpicos e paralímpicos, temos historicamente uma causa a defender”, afirmou.

Documentos. Para agregar valor à marca, o banco deixou de lado a lista com todos os pedidos de times da primeira divisão do Brasileirão – a reportagem apurou que, entre os times da série A, só o Fluminense não pediu patrocínio à Caixa – para buscar os novos contemplados no Norte e no Nordeste. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia no O Estado de S. Paulo

N.R. Mais um motivo para investirmos na Copa Rio JÁ!!!

O caminho para a Série D.

“O TORCESSOR”

Do Estatuto do Torcedor:
“Definição de Torcedor
Torcedor é toda pessoa que aprecie, apóie ou se associe a qualquer entidade de prática desportiva do País e acompanhe a prática de determinada modalidade esportiva.”
Torcedor não tem NENHUM INTERESSE pessoal, econômico, financeiro, político ou qualquer outro que não seja a GLÓRIA E O SUCESSO DO SEU TIME. A imensa maioria nem é sócio do Clube.
O Torcedor como indivíduo é um apaixonado, passional e dedicado SEMPRE à VITÓRIA DO SEU TIME.
Acontece que o “indivíduo Torcedor” é humano e como tal é falho, tem muitos defeitos e às vezes pode se deixar levar por interesses outros.
Porém um conjunto de Torcedores de um mesmo time é chamado de TORCIDA.
A TORCIDA não é tão falha como o indivíduo TORCEDOR. As falhas e os defeitos dos indivíduos TORCEDORES anulam-se, o que torna a TORCIDA num ENTE PURO.
Cabe aos Dirigentes tentar ouvir os gritos da TORCIDA. Este ENTE PURO só quer o bem do time, só quer a vitória, quer que o time vença todos os jogos.
Quando este ENTE PURO, este ENTE APAIXONADO, este ENTE DESINTERESSADO a não ser na VITÓRIA DO SEU TIME percebe distorções, detecta falhas, sente algo errado, que pode estar prejudicando o bom desempenho do SEU TIME DO CORAÇÃO, a TORCIDA acusa, reclama, grita e põe a “boca no trombone”.
O bom Dirigente, o Dirigente humilde, democrático e inteligente sabe distinguir e filtrar o GRITO DA TORCIDA e faz desse ENTE DESINTERESSADO, um ASSESSOR VALIOSÍSSIMO: um “TORCESSOR”.
Levando em consideração os alertas do “TORCESSOR” o Dirigente poderá tomar boas decisões para melhorar o desempenho do time para chegarmos ao que todos nós queremos:
A VITÓRIA!!!

As lições do Ituano, mesmo que passageiras, na festa do Paulistão – Robson Morelli

Ninguém tira os méritos do Ituano no Paulistão de 2014. Ninguém. O time de Itu ergue a taça com méritos e testes de fogo diante de gigantes do futebol Estadual. Refiro-me aos quatro grandes, Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos. Nada é por acaso e algumas lições é preciso tirar dessa campanha. Tentarei enumerá-las. Digo campanha porque sei o tamanho da dificuldade de Juninho Paulista, o presidente do clube de Itu, para manter um elenco campeão e, mais ainda, melhorar o que deu certo nesses primeiros três meses do ano, certamente os mais proveitosos para o clube.

Lição 1
Quem se organiza primeiro, primeiro consegue seus objetivos. Juninho escapou das ameaças do rebaixamento algumas vezes, mas manteve seu estilo de gestão, sua proximidade das pessoas que o ajudam a levar o clube e da sua certeza de que estava fazendo um trabalho certo. Se um time sem condições financeiras consegue, os de maior somas deveriam conseguir também.

Lição 2
O trabalho do treinador é limitado num grupo vencedor, mas nem por isso deixa de ser importante. Daí os méritos de Doriva, o treinador que encontrou um elenco e o fez jogar. Quando isso acontece, é meio caminho andado. Tite também fez isso no Corinthians e seu elenco durou três anos antes de naufragar. E aí mora o perigo. Um treinador deve sempre saber até quando pode apostar no seu elenco. Tite não soube. Doriva poderia trabalhar mais um pouco com esse Ituano, não fosse a falta de torneios interessantes no segundo semestre e a sede dos jogadores de beber água em clubes maiores e de mais visibilidade.

Lição 3
Confesso não saber exatamente qual é ou qual foi o envolvimento da cidade de Itu com o time que honra seu nome e seus moradores. Uma cidade que compra o time da casa sempre ganha e perde junto. Dessa vez ganhou. Todos ganham, na verdade. O Ituano, ou qualquer outro time do Interior, poderia se beneficiar mais se houvesse tal envolvimento e parceria.

Lição 4
O dinheiro, quando se tem um projeto e um grupo a fim de trabalho, acaba sendo secundário. Juninho Paulista paga o que pode para seus jogadores e confessou após o título no Pacaembu que pescou a maioria desses atletas em times menores que o seu, em segunda e terceira divisões. Pagar pouco é uma realidade. Pagar em dia deve ser uma obrigação. O mês em Itu tinha 30 dias, diferentemente até de alguns grandes do futebol nacional.

Lição 5
Quando a torcida entende as dificuldades do seu clube, ela deixa de cobrar e passa a sofrer e jogar junto. O Ituano vendeu o jogo para o Pacaembu e aceitou que sua torcida usasse a arquibancada pequena do estádio, ficando confinada à um canto. Em troca, o clube colocou a mão em metade da renda dos dois jogos contra o Santos. Uma mão lavou a outra. E todos entenderam.

Lição 6
Repassar jogadores da campanha vitoriosa pode ajudar o Ituano a conseguir outros atletas em troca. É hora de Juninho Paulista fazer bons negócios e dar ele as cartas. Dinheiro é bom e o clube precisa. Mas parte dessa valorização do elenco pode se transformar também em reforços para novos desafios.

Lição 7
O desafio é não desaparecer. E aí voltamos para a necessidade de o Ituano continuar com os pés nos chão e apostando numa gestão que já se provou correta. Não é fácil. Muitos clubes do Interior já fizeram mais barulho que um simples Estadual e mesmo assim desapareceram depois.

Lição 8
Se a FPF quisesse ajudar de verdade o futebol de São Paulo, abriria mão dos grandes, que já estão em competições maiores e mais interessantes financeiramente, e tratasse com mais carinho o futebol do Interior, organizando torneios mais longos e rentáveis com alguma ‘premiação’, mais ou menos com é a Copa Paulista, só que com um pouco mais de charme. Esse é o caminho dos clubes do Interior.

Lição 9
O Ituano tem seus méritos, mas também contou com o fracasso dos grandes, e dos médios de São Paulo. Não dá para comparar as situações de São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Santos com as condições das equipes do Interior. A campanha do clube de Itu também serve de lições para médios do Estado, como Guarani e Ponte, sobretudo o Guarani, que se afunda.

Lição 10
O futebol pode começar a ser arranjado pela defesa. O Ituano foi o time menos vazado do Paulistão e soube ‘vender’ essa característica na disputa. E até ‘ganhar’ jogo com essa fama.

Leia no “Estadão”

Com direito a ‘olé’, Lusa vira sobre o America (do site Super Gol)

No duelo dos eliminados nas samis da Taça Santos Dumont, America e Portuguesa se enfrentaram pela 1ª rodada da Taça Corcovado, 2º Turno, no estádio Giulite Coutinho, em Mesquita. Com dois gols de Douglas Santos e um de Leandrão, o time da Ilha do Governador venceu de virada, já que os rubros haviam inaugurado o marcador com Douglas. Com isso, a Lusa larga na frente do Grupo B.

A partida

Mesmo jogando longe de seus domínios, a Portuguesa não se intimidou e logo aos dois minutos teve a chance de abrir o marcador, quando Thadeu Paraguai saiu jogando errado nos pés de Victor Hugo, que driblou o goleiro e mandou pra fora. Porém, em sua primeira chegada, numa cobrança de falta de Cassiano, Douglas subiu mais alto que todos e testou para abrir o marcador: 1 a 0 America.

Com o gol marcado, o Mecão foi para cima, e quase ampliou aos 14. No lance, China cobrou escanteio curto, Michel foi de peixinho na bola, que passou raspando a trave direita de Borges. Após a parada técnica a Lusa começou a tomar conta da partida, se animando na hora em que Taércio derrubou Felipe Nascimento na área. Pênalti. O zagueiro Douglas Santos cobrou com excelência na esquerda: 1×1.

Minutos depois, Douglas Santos teve outra chance de marcar, após pegar a sobra da zaga e mandar para fora de forma inacreditável. Enfim, este sábado, 12, foi o dia do zagueiro, que aos 42 minutos marcou outro. Ele cobrou falta da intermediaria no ângulo esquerdo de Felipe, que nada pôde fazer. Virada insulana: 1×2. Daí em diante, a Lusa seguiu pressionando e foi para o vestiário com a vantagem.

Portuguesa fecha o caixão e torcida americana grita ‘olé’

Pressionado, muito pela derrota na semifinal para o Olaria, e atrás no placar, Gílson Nunes sacou Michel e Cassiano, colocando Léo Gama e Mohammed, ficando com quatro atacantes. Só que as alterações de nada adiantaram.

Como na etapa inicial, a Lusa passeava dentro das quatro linhas, mas ousava em errar o último passe. Sendo assim, aos 16, Léo Guerreiro fez grande jogada individual e serviu Noel que, dentro da área, mandou sobre a meta de Borges. Usando a experiência, o time de Sílvio Marques controlava a posse de bola, colocando o America na dita “roda”. Aos 27, Juninho avançou pela esquerda e cruzou na medida para Leandrão, livre, marcar o terceiro.

Se a vida rubra já estava péssima, quase que ela piorou se não fosse o goleiro Felipe, ao interferir na finalização do autor do terceiro gol. Sem forças para reagir, os comandados de Gílson Nunes ouviram, de sua própria torcida, gritos de “olé”. Como a Portuguesa não tinha nada com isso, fez festa com os primeiros três pontos neste returno.

Buscando a reabilitação, o Diabo vai à Cardoso Moreira enfrentar o Americano, às 15h. No mesmo horário, a Lusa recebe na Ilha o Barra da Tijuca. Ambos os jogos ocorrem na quarta-feira, dia 16.

Veja mais no Super Gol

Será que desta vez vai?

Segundo o site oficial do America, Leandrinho deve estrear amanhã contra a Portuguesa.

Veja toda a matéria:

Neste sábado (12), em Mesquita, o America inicia a sua caminhada no segundo turno da Série B do Estadual, em seu Estádio, o Giulite Coutinho, diante da Portuguesa. Leandrinho, meia do Mecão, treinou entre os titulares ao longo desta semana e, possivelmente, fará sua estreia no Carioca.
O jogador, que se destacou com a camisa rubra na temporada de 2013, espera, juntamente com o America, começar sua trajetória na Taça Corcovado da melhor maneira possível.

- Acredito que eu possa estrear bem e, apesar de ser canhoto, começar com o pé direito, assim como o America (risos). Estou confiante e esperançoso ao máximo em ir bem e ajudar a nossa equipe a vencer o jogo. O meu futebol não mudou, é o mesmo, e espero mostrar em campo as boas atuações que tive no ano passado e o que todos sabem que eu posso render em prol do time – disse.

O jogador comentou que está ciente das cobranças, sejam em relação a ele ou ao primeiro turno do America, e relatou o que, em sua visão, é o melhor caminho para respondê-las.

- Sei que existe muita pressão e cobranças, dentro e fora de campo por coisas do passado. Inclusive falaram coisas ruins sobre mim em algumas matérias. Também sei o que perdemos no primeiro turno. Mas a gente está trabalhando forte e vai seguir se empenhando mais e mais nos treinos para mostrar para a torcida que nós estamos entrando bem no segundo turno e, com isso, irmos bem na competição.

Treino desta quinta

Gilson Nunes, o treinador do America, comandou um coletivo de aproximadamente uma hora no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita. A atividade, disputada na tarde desta quinta (10), terminou com a vitória dos titulares, por 1 a 0, gol de Léo Guerreiro.

Leandrinho quer dupla estreia com o pé direito

America lança uniforme que lembra título do Torneio dos Campeões de 82

Nova peça traz estrela sobre o escudo e será usada já na disputa da Taça Corcovado

O America divulgou na tarde desta sexta-feira seu novo uniforme, que será utilizado já na disputa da Taça Corcovado, o segundo turno da Série B do Carioca. A camisa é uma espécie de reedição do histórico modelo de 1982, ano em que o clube conquistou seu título mais importante: o Torneio dos Campeões. Vale lembrar que, ainda naquela temporada, o Mecão também foi campeão da Taça Rio.

Novo uniforme do America, que será estreado no próximo dia 12, contra a Portuguesa (Foto: Divulgação)

Novo uniforme do America, que será estreado no próximo dia 12, contra a Portuguesa (Foto: Divulgação)

Além da volta da estrela dourada sobre o escudo, que simboliza o título do Torneio, na parte de trás também estará escrito “Campeão dos Campeões”. A camisa ganhou ainda uma fina listra sobre o escudo, com um trecho do hino: “Unido vencerás”.
A estreia da camisa será no próximo dia 12 de abril, no duelo contra a Portuguesa, às 15h, no Estádio Giulite Coutinho.

Leia no globoeporte.com:

http://globoesporte.globo.com/rj/serra-lagos-norte/noticia/2014/04/america-lanca-uniforme-que-lembra-titulo-do-torneio-dos-campeoes-de-82.html

America é superado pelo Olaria e fica fora da final (do site oficial do America)

Faltou pouco para o America alcançar a final da Taça Santos Dumont. Apesar de uma excelente atuação no primeiro tempo, os rubros foram derrotados pelo Olaria por 3 a 2, em Mesquita, na semifinal da competição. Os gols americanos da tarde deste sábado (29) foram anotados por Castro, destaque apesar da derrota, e Léo Guerreiro.
Os primeiros dez minutos do confronto foram equilibrados e o Mecão teve uma leve superioridade. Dos dez aos vinte minutos o America passou a dominar mais o jogo e abriu o placar segundos antes da parada técnica. A defesa do Olaria afastou mal a bola alçada para a área e Castro, no quique da bola, emendou de primeira, de perna esquerda. A bola saiu com efeito e só parou no ângulo direito de Cléber. Um golaço! America 1 a 0.

Oito minutos depois da parada técnica os rubros empataram em uma jogada de muita raça de Castro, que se tornava um dos nomes do jogo. A bola foi recuada par o goleiro do Olaria, na intermediária defensiva, pelo lado direito de ataque do Mecão, e Castro deu um carrinho certeiro na bola, antes que o goleiro chutasse. A bola sobrou para Léo Guerreiro, que teve tranquilidade para chutar e ampliar. Daí em diante as equipes não criaram jogadas ofensivas e o placar se manteve igual até o intervalo.

No segundo tempo o técnico do Olaria fez uma série de substituições em seu time e conseguiu virar o placar do jogo. Aos 18 minutos, Gian cobrou falta da direita e Daniel diminuiu de cabeça. 14 minutos depois, após outra cobrança de falta de Gian, Felipe socou a bola para a esquerda da área e, na sequência, o árbitro assinalou um pênalti em Júnior, dizendo que ele foi empurrado por um dos atletas da defesa americana. Na cobrança o próprio Júnior empatou. Três minutos depois, aos 36, Gian recebeu a bola no lado esquerdo da grande área e acertou um chute indefensável: 3 a 2.

O America ainda tentou empatar nos minutos finais e pressionou o Olaria até o fim. Entretanto, na chance mais contundente do Mecão, aos 40 minutos, Betinho cobrou falta da intermediária direita e Taércio, de cabeça, mandou a bola ao lado do gol de Cléber. O placar persistiu e o avanço do America para a final da Taça Santos Dumont foi impedido.

A partida
America 2×3 Olaria – Taça Santos Dumont, Semifinal – 29/03/2014, às 15h

Estádio Giulite Coutinho (Mesquita-RJ)
Árbitro: Daniel de Sousa Macedo
Assistentes: José Carlos Batista de Arruda e Daniel da Silva Alexandre
4º árbitro: Leonardo Rotondo Pinto

America: Felipe Eduardo; China (Wander, 17′/1ºT), Thadeu Paraguai, Ramon e Noel; Taércio, Alan (c) e Flávio; Marcelinho, Castro (Betinho, 26′/2ºT) e Léo Guerreiro (Marco Túlio, 20′/1ºT). Técnico: Gilson Nunes.

Olaria: Cléber; Ivan, Daniel, Vandinho e Kevin Gaúcho (Carlos Junior, 29′/2ºT); Nêgo, Cocada (Gian, 15′/2ºT), Robertinho e Lincoln (Thiagão, intervalo); Júnior e Renatinho. Técnico: Cleimar Rocha.

Cartões amarelos: Thadeu Paraguai e Flávio (AFC)

Gols Castro 20′/1ºT (1-0); Léo Guerreiro 28′/1°T (2-0); Daniel 18′/2°T (2-1); Júnior 33′/2°T (2-2); Gian 36′/2°T (2-3).

America se classifica com um a menos e virada heroica (do site oficial do AFC)

Mesmo numa tarde de quarta-feira, uma parte da torcida americana se fez presente no Estádio Giulite Coutinho para acompanhar a partida mais importante do time até então no ano de 2014. E foi brindada com um placar favorável que garantiu o time nas semifinais da Série B, na vitória, de virada, por 2 a 1, sobre o Olaria.

O America começou pressionando e por pouco o atacante Marcelinho não tira o primeiro zero do placar. Após receber cruzamento da direita, ele subiu mais que o zagueiro do Olaria e cabeceou, obrigando o goleiro Cléber a fazer uma defesa dificílima. O jogo estava igual até os 13 minutos, quando o atacante alvianil Magno chutou uma bola de fora da área, ela desviou na zaga e tirou totalmente o goleiro Felipe do lance. 1 a 0 Olaria.

No intervalo, o técnico americano Gilson Nunes mexeu no time, colocando Marco Tùlio no lugar de Betinho, dando mais ofensividade à equipe. E surtiu efeito logo no começo. Noel cobrou falta, Marco Túlio desviou e o goleiro Cléber espalmou. A bola sobrou livre para o zagueiro Douglas Ferreira, bem colocado no lance, empatar o jogo. 1 a 1.

O empate não classificava o America para as semifinais, já que os demais resultados não eram favoráveis e a vitória passou a ser mais do que fundamental. A pressão contra o rubro aumentou aos 31 minutos, quando o mesmo zagueiro Douglas Ferreira foi expulso por fazer uma falta na entrada da área e levar o segundo cartão amarelo. Mas, isso não desanimou o time, que continuou a buscar os três pontos.

A vitória rubra aconteceu aos 36. Uma falta na intermediária do Olaria ficou a cargo do volante Taércio fazer a cobrança. Ele bateu rasteiro, a bola passou por todos e o goleiro Cléber nada pôde fazer no lance. 2 a 1 America e festa no campo e na arquibancada. Após o apito final, jogadores e torcida confraternizaram, numa grande festa em Mesquita.

Com o resultado, o America fica em primeiro lugar no grupo B e a próxima partida do America acontece sábado (29), às 15h, no Estádio Giulite Coutinho, contra o Olaria, segundo colocado no grupo A. A outra semifinal, nos mesmos dias e hora, será Barra Mansa x Portuguesa, em Barra Mansa.

A partida

America x Olaria – Taça Santos Dumont, 10ª rodada – 26/03/2014, às 15h30min

Estádio Giulite Coutinho (Mesquita-RJ)
Árbitro: Eduardo Cordeiro Guimarães
Assistentes: Ralph Coutinho Carneiro e Marcello Oliveira da Costa
4º árbitro: Thiago Pinheiro Ferreira

America: Felipe Eduardo; China (Wander/13’2ºT), Thadeu Paraguai, Douglas Ferreira e Noel; Taércio, Alan, Muniz (Flávio, 18’/1º), Betinho (Marco Túlio/intervalo); Marcelinho e Léo Guerreiro. Técnico: Gilson Nunes.

Olaria: Cléber, Ivan, Daniel, Vandinho e Erick (Carlos Jr, 32/1ºT); Nego, Cocada, Robertinho e Lincoln; Magno e Renatinho (Gaúcho/7’2ºT). Técnico: Cleimar Rocha

Cartões amarelos: Douglas Ferreira (AFC); Robertinho e Daniel (OAC)

Cartão vermelho: Douglas Ferreira (AFC)

Visite o site oficial do America

Fabio Bião/SportVoice Assessoria

Reta final da Taça Santos Dumont (site www.oamericatemjeito.blogspot.com.br)

Faltando apenas uma rodada para terminar a fase de classificação da Taça Santos Dumont, fiz um resumo da situação geral e uma rápida análise das possibilidades.

1) Classificação

 

Grupo B
CLUBES P J V E D GP GC SG AP
1 Portuguesa 15 8 4 3 1 9 4 5 62,5%
2 America 13 7 4 1 2 11 9 2 61,9%
3 Americano 11 7 3 2 2 14 9 5 52,4%
4 São João da Barra 11 7 3 2 2 13 14 -1 52,4%
5 Goytacaz 10 8 2 4 2 9 9 0 41,7%
6 Barra da Tijuca 9 7 2 3 2 7 5 2 42,9%
7 Queimados 7 7 2 1 4 7 11 -4 33,3%
8 São Gonçalo EC 4 7 1 1 5 7 14 -7 19,0%
9 Paduano 3 7 1 0 6 5 14 -9 14,3%

2) Próxima rodada

Temos interesse especial em 4 jogos, todos realizados na quarta-feira (26/03) às 15h30. O primeiro, claro, é o nosso, em casa, contra o Olaria. Mas outros três podem ajudar na classificação e também nos cruzamentos nas fases semifinal e final. São eles Queimados x Barra Mansa, São João da Barra x Sampaio Correa e Americano x Angra dos Reis.

3) Possibilidades de classificação para as semifinais:

Vitória: America se classifica em 1° e Portuguesa em 2° no grupo B, enfrentando na semifinal o 2° de A (grande chance de ser o próprio Olaria, já que o 2° colocado do grupo, o Barra Mansa enfrenta o Queimados e, mesmo jogando fora, é favorito à vitória e, nesse caso, ultrapassaria o Olaria);
Empate: Portuguesa se classifica em 1° do grupo e America se classifica em 2°, desde que Americano não vença o Angra e o São João da Barra não vença por dois ou mais gols de vantagem. Neste caso também enfrentaria o Olaria, a menos que o Barra Mansa vencesse por mais de 2 gols de vantagem;
Derrota: Portuguesa se classifica em 1° do grupo e America se classifica em 2°, desde que Americano e o São João da Barra não vençam seus jogos. Neste caso também enfrentaria o Olaria.

4) Regulamento:

Art. 3º – O primeiro turno ou Taça Santos Dumont, será realizado em 3 fases: classificatória, semifinal e final.

§ 1º – A fase classificatória será disputada pelo cruzamento das associações do grupo (A) com as do grupo (B), em turno único, em confronto direto, classificando-se para as semifinais deste turno as duas primeiras colocadas de cada grupo.

§ 2° – Para as semifinais da Taça santos Dumont as associações classificadas na fase anterior serão distribuídas em dois grupos, a saber, e a disputa dar-se-á por cruzamento olímpico em jogo único dentro do grupo, classificando-se para a final deste turno os vencedores de cada grupo;

GRUPO C: 1° colocado de A x 2º colocado de B
GRUPO D: 1º colocado de B x 2º colocado de A

§ 3º – As associações 1ª colocada de A e 1ª colocada de B terão o mando de campo e jogarão a semifinal (grupo C e D) com a vantagem de 01 ponto, ou seja, jogarão pelo empate;

§ 4° – A final da Taça Santos Dumont será decidida em partida única

GRUPO E
Vencedor de C x Vencedor de D

§ 5º – Caso apenas uma finalista tenha sido 1ª colocada de A ou 1ª colocada de B jogará a final com a vantagem do empate e em estádio por ela indicado.

§ 6º – Caso as duas finalistas tenham sido primeiras colocadas na fase classificatória do seu respectivo grupo (1º de A e 1º de B), indicará o estádio e jogará pelo empate a que tiver conquistado maior número de pontos ganhos nessa fase. Havendo o mesmo número de pontos, serão aplicados os critérios do art. 8º para determinação da associação que terá a vantagem do empate;

§ 7º – Caso ambas as finalistas não tenham sido primeiras colocadas na fase classificatória do seu respectivo grupo (2º de A e 2º de B), indicará o estádio e jogará pelo empate a que tiver conquistado maior número de pontos ganhos nessa fase. Havendo o mesmo número de pontos, serão aplicados os critérios do art. 8º para determinação da associação que terá a vantagem do empate;

§ 8º – A associação vencedora da partida final do primeiro turno será declarada campeã da Taça Santos Dumont e estará automaticamente classificada para o Turno Final do campeonato.

5) Cenário ideal:

O cenário ideal é classificar para a semifinal em primeiro (vitória sobre o Olaria). Neste caso a semifinal seria – muito possivelmente – contra o Olaria em Edson Passos, o America jogando pelo empate. A outra semifinal seria entre o 1° do grupo A (o mais provável em minha opinião é o Barra Mansa) e a Portuguesa (2a do grupo B nessa hipótese).

Aí nossa torcida é para a Lusa vencer o jogo, única alternativa para jogarmos a final em casa com direito a empate para nos sagrarmos campeões do 1° turno.

O importante agora é manter o foco. Nada ainda está conquistado, mas o America tem dado um grande exemplo de superação. Parabéns à diretoria, à comissão técnica e aos atletas.

Vamos subir, Sangue!